A Microsoft já tentou por diversas vezes trazer o Windows para os telefones, mas sempre com pouco ou nenhum sucesso. Sua tentativa (e falha) mais recente foi com o Windows Phone, que mesmo com a versão mais recente do sistema, acabou não sendo bem recebido pelo público e o sistema foi abandonado pela empresa. Mesmo assim, muitas pessoas tem esperança de que a Microsoft retorne ao mercado mobile com algum produto inovador, e vai ser justamente sobre isso que vamos conjecturar neste artigo.


Microsoft com Android? Como assim?!

Sim, por mais esquisito que isso possa parecer no primeiro momento (considerando que estamos falando da Microsoft) isso não é exatamente impossível. Recentemente, a Microsoft decidiu reconstruir seu navegador (Microsoft Edge) a partir do código-fonte do Chromium, um projeto open-source da concorrente, Google.


Do que exatamente a Microsoft precisaria para compor um sistema mobile baseado no Android?

Excluindo as partes de hardware/sistema e focando somente nos princípios mais básicos da ideia, a Microsoft precisaria de:

  • um sistema de cadastro de usuários que identificasse quem está acessando o dispositivo (Conta da Microsoft)
  • um sistema de design que fosse visualmente agradável, consistente, único e estivesse presente em todas as partes do sistema (Fluent Design)
  • um sistema de busca na internet que funcionasse integrado ao sistema (Bing)
  • um navegador reconhecido que funcionasse bem com o sistema e utilizasse um boa render-engine (Microsoft Edge com base no Chromium)
  • uma assistente pessoal para usuários que quisessem controlar o dispositivo e interagir com ele a partir da voz (Cortana)
  • uma loja para que usuários possam fazer compras e downloads de aplicativos, jogos, filmes, etc... (Microsoft Store)
  • Aplicativos utilitários para execução de tarefas comuns ou de trabalho já disponíveis no sistema (Calculadora, Calendário, Email - Outlook, Onenote, Sticky Notes, Word, Excel, Powerpoint, etc…)
  • um serviço de armazenamento na nuvem para eventuais backups de dados do usuário e arquivos (Onedrive)
  • uma camada de compatibilidade com UWP para suportar os aplicativos feitos para a plataforma do Windows (Algo como o projeto Astoria, mas para UWP apps no Android)
  • um lançador que pudesse integrar todos esses recursos com simplicidade e funções interessantes (Microsoft Launcher)

Então, vendo por esta lógica, a Microsoft já tem todas as partes do quebra-cabeça, bastaria montar, mas dessa vez, sem ditar novas regras para o mercado, e sim se adaptando as regras já existentes.

Isso abre uma brecha para pensarmos que, por mais "viajada" que pareça, uma ideia como a de adotar o Android como sistema mobile pode fazer bastante sentido e finalmente, fazer com que a Microsoft tenha um sistema mobile que seja aceito pelo mercado.

Caso a Microsoft decida adotar o Android como código-fonte para um novo sistema mobile, basicamente, o único trabalho que a empresa teria seria de integrar suas próprias aplicações ao sistema no lugar das que a Google oferece e de suportar aplicativos UWP no sistema se quiser algum diferencial, e isso não deve ser tão difícil para a Microsoft.


No que a Microsoft NÃO poderia errar (dessa vez)

Uma das diversas razões pela qual o Windows Phone nunca emplacou é que a Microsoft cobrava licenças para que fabricantes criassem os aparelhos, diferente do Android, sendo assim, era mais viável para as empresas produzir seu hardware para o Android do que para o Windows Phone.

Visto isso, a Microsoft não poderia cobrar licenças das empresas, assim como também não deveria comprar empresas para produzir exclusivamente os aparelhos.

Outro ponto é que a Microsoft deveria estipular um hardware mínimo padrão para cada grande versão do sistema, o que faria com que os fabricantes não criassem equipamentos no limite do hardware suportado pelo sistema base, que acabariam por tornar a experiência de usar o sistema bastante sofrível (como é com os aparelhos Windows Phone com 512 de RAM, por exemplo...)


E essas são as minhas ideias sobre como a Microsoft pode retornar ao mercado de smartphones utilizando-se do Android. Na minha opinião, seria muito interessante se fosse realmente dessa forma, mas é algo que só saberemos no futuro…

(considerando as notícias recentes, agora já sabemos!)


Veja Também: